Hoje, 8 de março, Dia Internacional da Mulher, as alunas da Escola do Sebrae organizaram um movimento para homenagear e refletir sobre as condições das mulheres na sociedade. Todas as mulheres se reuniram no pátio da Escola, vestidas de preto e com batom vermelho. A aluna Thaís Aragão, do 2º ano C, recitou uma poesia de sua autoria.

O movimento foi organizado por alunas que estão à frente do “Grupo de Mulheres” da Escola do Sebrae. O grupo foi criado com o objetivo de realizar ações em prol das mulheres, sendo um espaço aberto para que todas possam se expressar e compartilhar o que sentem.

Confira a poesia de Thaís Aragão:

“Chega a ser irônico
Além de trágico
Ver que em 2019
Estamos discutindo direitos básicos

Ainda hoje
Existe diferença salarial
De um homem e uma mulher
No mesmo cargo empresarial

E a única razão
E uma coisa que não se escolhe

Porque se pudesse decidir
Ninguém seria do sexo
Que apenas por existir
Sofre um preconceito sem nexo

Tá duvidando de mim?
Só queria lembrar
Que os fatos não deixam mentir
Até 30% do salário deixam de pagar

Além de ser difícil
Serem contratadas
“Vai ter TPM, licença maternidade…”
Até parece fácil aguentar tudo isso e a dupla jornada

Mas se ainda sim
Persistir em trabalhar
Passará por assédio, violências, abusos, que não vão acabar
Gerando danos que nenhum dinheiro é capaz de apagar
E se não aguentar
E decidir parar…
Ainda vão te julgar

E cê acha que acabou?
Nem comecei a contar
Da violência doméstica
Que a maioria de nós vamos ter que passar

A cada segundo
Um assédio
A cada momento
Um toque sem consentimento
E cada grito
Cada vez mais sofrido
E na sequência…
Uma violência.
A cada 11 minutos
Um estupro
Todo dia
Mais uma falecida

Uma mulher que vivia
Pelo marido diminuída
Calada sofria
Mas por fora sorria

Se calava por medo
Aguentava pelo pequeno
Chorava em segredo
Mas por dentro morrendo

Não podia separar
Ela não trabalhava
A única escolha era aceitar
E assim ficava manipulada

Se viu presa
A uma situação que não queria
Uma eterna tristeza
E decidiu que não mais esconderia

Decidiu enfrentar
Sua voz levantar
Mas o marido não quis escutar
Preferiu calar
A voz que simplesmente tentava se igualar
Preferiu matar

Então é melhor repensar
Antes de vir diminuir
A luta feminista
Que você chama de mimimi

Porque tem gente que ainda tem coragem
De chamar de igualdade
Esse sistema sem piedade
Que esconde a verdade
Porque na realidade
Não existe igual oportunidade
Se no nascimento, te colocam 10 passos em desvantagem”

Thaís Aragão – 2ºC

Clique para ver as fotos:

Dia da Mulher na Escola do Sebrae